Plantas suculentas

Cultivo
Dentro de Casa
Muitas espécies de suculentas adaptam-se bem em ambientes fechados.

Crássulas mantêm-se bem perto de janelas com sol constante (norte), enquanto Haworthias preferem sol mais fraco (janelas voltadas para o sul).
Aloes e Gasterias podem manter-se à meia-sombra. plantas pendentes, como a Ceropegias e Hoyas também se adaptam bem a ambientes internos. Echeverias e Rosularias também preferem janelas como menos 4 horas de sol.

Alguns cuidados ao manter plantas suculentas em vasos:
1 - Certifique-se que o vaso tem tamanho suficiente para acomodar as raízes com folga. Raízes precisam de espaço para desenvolver-se;
2 - Várias espécies de suculentas podem ser agrupadas em um único vaso. Tome cuidado de colocar juntas apenas as espécies com as mesmas necessidades de solo, água e sol. Cuide também para que plantas mais altas não façam sombra em plantas pequenas.
Impossível não se apaixonar por elas! Fofinhas e com maravilhosas formas e cores, elas são as queridinhas do mundo das plantas.
Originárias em sua maioria de ambientes desérticos, onde predomina o clima árido e as altas temperaturas, elas desenvolveram características especiais para que pudessem se adaptar. Algumas têm uma espécie de "pêlo" nas folhas, outras uma camada de cera, ambas as coberturas previnem a perda de água armazenada nas seguintes estruturas: folhas, caules, ou ainda nos troncos e raízes.
A capacidade de armazenar água e a grande resistência faz com que elas exijam pouquíssima manutenção. Geralmente basta um substrato bem drenado, no mínimo 4 horas diárias de sol e um bom regime de regas.

Para tê-las em casa por um bom tempo, basta seguir estas dicas:
- Sua suculenta pode ser plantada tanto no vaso plástico como no de cerâmica, mas tenha sempre em mente que o plástico vai exigir um número menor de regas, pois ele não absorve a água como o de cerâmica, e consequentemente, permanece mais tempo molhado.
- Aumente o aproveitamento dos adubos colocados no solo, principalmente os NPK, pois as plantas terão maior capacidade de absorção.
-Use um substrato bem drenado. Existem muitas recomendações de substrato, você pode encontrar uma que dê melhores resultados. Para isso teste em casa com suas mudinhas.

Sugestão 1: 1 parte de terra vegetal; 2 partes de areia grossa; 1 parte de terra vermelha; 1 parte de húmus de minhoca; 1 parte de areia grossa e 1 parte de carvão vegetal moído
As regas devem ser cuidadosas, uma vez por semana no verão, de maneira abundante, e uma vez a cada quinze dias no inverno. Não use pulverizadores para não formar um ambiente úmido em torno das plantas. Essa é só uma sugestão – você descobre a medida – se perceber que suas plantas estão murchando, aumente gradativamente a quantidade de água, caso as folhas da base começarem a apodrecer, diminua.
Não adube excessivamente seus vasos. O excesso de nitrogênio faz com que as plantas cresçam exageradamente e fiquem muito suculentas. A planta fica estiolada (comprida e magrinha) e com as portas abertas para o aparecimento de doenças.
Use 1 colher de café de NPK 10-10-10 a cada mês nos vasinhos e elas se manterão bonitas. Use também farinha de osso (1 colher de chá/vaso) uns 2 meses antes da floração.
Deixe seus vasinhos ao sol, a maioria das suculentas gosta dele. As plantas que não tomam a quantidade necessária de luz ficam estioladas, tem sua aparência descaracterizada, a cor fica pálida e elas começam a apodrecer na base. Sempre observe o desenvolvimento e pesquise sobre as necessidades da sua planta, só assim ela vai ficará sadia e poderá oferecer toda sua beleza.
As suculentas são fáceis de cuidar, requerem pouquíssima água e muitas espécies possibilitam mudas obtidas através do destaque de folhas sadias e estas deixadas sobre o solo de um vasinho.

História :: Origens
Provenientes de regiões de bastante calor, as suculentas são espécimes ideais para ambientes de sol forte e pouca água, pois absorvem e armazenam quase toda a água que conseguem extrair do meio.
Encontram-se vários exemplares na África, Madagascar, desertos e regiões semi-áridas, como o cerrado brasileiro.
Facilmente adaptáveis, são encontradas hoje em dia em barracas de hortos em grandes cidades.
Algumas Agaves e Crassulas podem alcançar tamanhos realmente grandes. Algumas espécies de Crassulas podem alcançar 3 metros de altura.

Cuidados
Muitas espécies de suculentas adaptam-se bem em ambientes fechados.
Crássulas mantêm-se bem perto de janelas com sol constante (norte), enquanto Haworthias preferem sol mais fraco (janelas voltadas para o sul). Aloes e Gasterias podem manter-se à meia-sombra.
Plantas pendentes, como Ceropegias e Hoyas também se adaptam bem a ambientes internos.
Echeverias e Rosularias também preferem janelas com pelo menos 4 horas de sol.

FORA DE CASA
Muitas suculentas preferem ambientes externos. Podem suportar bem geadas, no entanto, aconselha-se protegê-las de temperaturas menores que 5ºC.
Crássulas desenvolvem-se bem ao ar livre, mas não toleram geadas fortes. Gasterias, Aloes e Haworthias preferem locais sombreados. Algumas espécies de pequeno porte (algumas echeverias e crassulas) não gostam do ambiente externo e precisam da proteção de um local fechado.

1. Luminosidade: As suculentas procuram as fontes de maior luminosidade e tendem a inclinar-se. Deve-se girar de tempos em tempos o vaso ou bandeja onde elas se encontram.

2. Solo: 50% areia, 50% barro ou terra vegetal. O solo deve permitir uma drenagem suficiente para não reter a água e consequentemente afogar as raízes capilares.

3. Água: Uma coisa é certa: se você quer que suas suculentas mantenham o tamanho diminuto, evite ficar regando suas plantas. Elas acabam ficando inchadas. Molhe apenas 1 ou 2 vezes ao mês, sempre deixando vazar pelo fundo do vasinho.

4. Temperatura: Algumas espécies suportam variações entre 5° C a 80° C, entretanto a maioria delas detesta geadas e temperaturas abaixo de 5° C.

5. Vasos: Certifique-se que o vaso tem tamanho suficiente para acomodar as raízes com folga. V árias espécies de suculentas podem ser agrupadas em um único vaso. Tome o cuidado de colocar juntas apenas as espécies com as mesmas necessidades de solo, água e sol. Cuide também para que plantas mais altas não façam sombra em plantas pequenas.

6. Replantio: Sö o faça caso deseje um jardim em bandeja, colocando algumas espécies de tamanhos, necessidades e cores que combinem. Cubra com pedrinhas brancas a terra e pronto.

7. Ventilação e umidade: Uma boa ventilação é importante apenas para espécies que possam ser cultivadas ao ar livre.

8. Adubação: As suculentas podem ser adubadas de três em três meses, suspendendo durante o inverno.

9. Reprodução:

9.1 - ESTAQUIA DE FOLHAS
Muitas suculentas podem ser multiplicadas por estaquia de folhas, como Crassulas e Echeverias. Se a folha destacar com facilidade do caule, é provável que este método de propagação terá bons resultados. Esta é a maneira mais rápida e fácil de obter filhotes de rosetas.

  • Escolha folhas maduras e saudáveis. Destaque-as com cuidado na junção com o caule e deixe-as em repouso por um ou dois dias.
  • Você pode aguardar até que apareçam raízes e pequenas folhas no local de junção da folha com o caule para então plantá-la. Aguarde que as raízes estejam firmes e as novas folhas bem desenvolvidas antes de remover a folha-mãe.
  • Outra maneira de induzir o aparecimento da muda é colocar as folhas (com o local de junção para baixo) em um vaso com terra e umedecer o solo ocasionalmente.

9.2 - Estaquias de Galhos
Caso a planta tenha caule lenhoso, é possível fazer a muda a partir de galhos.

  • Escolha um galho saudável e com folhas novas. Corte o galho com estilete afiado e limpo.
  • Elimine as folhas maiores ou corte-as ao meio. Espere um ou dois dias para que o local do corte fique seco.
  • Você pode estimular o aparecimento de raízes aplicando hormônio de enraizamento no local do corte e então plantar o galho, ou aguardar o surgimento natural de raízes em alguns dias.

9.3 - Filhotes
Algumas suculentas, como a "rosa-de-pedra" produz "filhotes" logo abaixo de suas folhas, junto à planta, de maneira que basta retirar estas pequenas mudas e plantá-las em local definitivo.
Um mini jardim é a reprodução de uma paisagem em miniatura.
Usando-se cactos e suculentas cria-se a miniatura de uma paisagem de deserto.
Um dos segredos de um arranjo bem executado é o equilíbrio visual.
Tudo começa com a vontade de criar um mini jardim. No carinho ao manusear plantas delicadas como suculentas. No cuidado na escolha das mudas, da peça a ser usada como vaso e dos acabamentos. O toque final é sua sensibilidade, que irá combinar tudo isso. (Dilcilene Drumond - Paisagista)

Equipamentos e materiais
Vaso raso de terracota, cerâmica ou qualquer material de tamanho adequado para a montagem de um mini jardim;Suculentas, cactos, liliáceas, crassuláceas ou euforbiáceas;Manta Bidim ou tela plástica;Substratos, areia, argila expandida, brita nº 0 ou tijolitos;Colheres de jardinagem (pequena e média);Pedras ornamentais;Forração do seu agrado (pedriscos coloridos, seixos, pedras roladas, cascalhos)Borrifador;Trincha ou pincel;Luvas e avental;Plástico ou jornal para forrar a mesa ou bancada de trabalho.

Montagem
1. Forre o fundo do vaso com a manta Bidim para impedir que o substrato escorra durante as regas. Em seguida, coloque aproximadamente 3 cm de tijolito ou brita e uma camada fina de areia para drenagem. Se necessário reduza o furo do vaso com cacos ou pedras;
2. Coloque um pouco de substrato, lembrando que iremos usar um pouco do torrão das plantas;
3. Com as plantas ainda nos vasos faça um projeto organizando as plantas e as pedras decorativas, de forma que uma não atrapalhe a visão da outra. O ideal é que a disposição das plantas permita a visão de qualquer ângulo do vaso, formando novas paisagens. Utilize sua sensibilidade e não se esqueça dos conceitos de harmonia, equilíbrio e proporção;
4. Faça uma limpeza das mudas (eliminação de folhas mortas ou danificadas e excesso de raízes);
5. Depois de plantar os componentes do arranjo, salpique o substrato delicadamente ao redor das raízes, utilize a colher pequena para firmar as raízes e o substrato em volta das mudas;
6. Coloque uma camada de areia e logo em seguida use a forração que mais lhe agradar, se quiser utilize outros elementos decorativos como pedras, enfeites e miniaturas;
7. Limpe as plantas com a trincha ou pincel, regue levemente utilizando o borrifador e faça a limpeza do vaso;
8. Deixar em lugar protegido e à meia sombra por 1 dia.
A maioria das casas especializadas em artigos de jardinagem vende todos os materiais, inclusive pedras, seixos e cascalhos, para montar e decorar mini jardins.

Cuidados
1. Suculentas são plantas que devido ao acúmulo de água em seus tecidos (caules e folhas) têm a aparência de “gordinhas”. Como os cactos são, geralmente, originárias de regiões com irrigação escassa e adaptadas a esta condição;
2. Deixe o mini jardim em local que receba de 3 a 4 horas diárias de sol. Você pode deixá-lo dentro de casa por um certo período e levá-lo novamente para um local onde receba mais luz;
3. Deve ser regado uma vez por semana no inverno e de 4 em 4 dias no verão; não utilize pratos ou recipientes que armazenem água; a umidade em excesso pode causar apodrecimento das plantas ou doenças que são difíceis de curar;
4. O uso de um bom substrato no plantio reduz a necessidade de adubação. Se achar necessário faça a adubação foliar de acordo com as instruções do fabricante do produto e sempre pela manhã;
5. A troca de vaso ou substrato deve ser feita preferencialmente no início de setembro. Normalmente é realizada uma vez por ano, ou quando você julgar necessário, para trocar o vaso, por excesso de mudas ou desgaste do substrato utilizado;
6. Para conhecer mais sobre cactos e suculentas leia e pesquise sobre o assunto. Recomendamos o Livro “1001 Plantas e Flores – Editora Europa” para quem quer começar.

Algumas espécies de Suculentas




04.03 - Aeonium undulatum

04.05 - Aeonium haworthii

04.09 - Aeonium simsii

04.14 - Aeonium 3

05.02 - Agave augustifolia var. marginata

05.07 - Agave desmettiana

05.11 - Agave franczosinii

07.04 - Aloe ciliares

07.12 - Aloe vera

07.21 - Aloe juvena

07.26 - Aloe variegata

10.01 - Aptenia cordifolia

14.01 - Callisia repens

15.01 - Caralluma praegacilis

16.01 - Carpobrothus murii

22.04 - Crassula volkensis

22.06 - Crassula muscosa monstrose

22.07 - Crassula pyramidalis

22.14 - Crassula multicava

22.20 - Crassula falcata estreita

22.22 - Crassula ovata

22.28 - Crassula capitela

22.30 - Crassula socialis folha virada

22.33 - Crassula perfossa

22.34 - Crassula socialis

22.35 - Crassula portulacea Gollum

22.36 - Crassula obliqua

23.01 - Cyanotis somalensis

30.04 - Echeveria desmetiana

30.05 - Echeveria elegans

30.07 - Echeveria gibbiflora caranculata

30.10 - Echeveria lilaciana

30.12 - Echeveria setosa

30.14 - Echeveria derembrguii

30.19 - Echeveria minima

30.20 - Echeveria pulvinata

30.22 - Echeveria albicans

30.24 - Echeveria peacochii

30.26 - Echeveria pulidonis

30.27 - Echeveria secunda glauca

30.29 - Echeveria X Kirchineriana

33.02 - Euphorbia milii nastananarivae

33.05 - Euphorbia tirucalli

33.09 - Euphorbia xylophyloides

33.10 - Euphorbia acrurensis

33.19 - Euphorbia lactea

33.21 - Euphorbia lactea cristata


Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts. Aproveite e deixe seu e-mail, quem sabe poderei te ajudar?

22 comentários:

Rita disse...

Maravilhoso o site. Adorei as dicas!!! Hoje minha mães comprou uma suculenta e pediyu para eu pesquisar como se cuida delas. Agora já sei!!!! obrigada!!

Valéria disse...

Adorei as suas suculentas e as dicas como cuidar delas! Já comecei o meu jardim com algumas e digo que estou encantada com a diferença e a beleza dessas plantinhas!!!! (Valéria Sardinha Gonçalves)

Cian Carlos disse...

Presentiei a minha esposa no dia doas namorados com duas suculentas; agora com as dicas saberemos cuidar das nossas plantas.
Gostei muito do seu site,obrigado.
Manteremos contatos.Uma otima semana.

Helio disse...

Excelente site,um lindo trabalho pela nossa natureza que tanto precisa ser preservada e cultivada.Continue dando boas dicas,a natureza agradece.HELIO

Elaine disse...

MARAVILHOSO, adorei tudo amo plantas de qualquer espécie, mas as suculentas são maravilhosas.Laine

Stella disse...

Oi,

Alguém pode me ajudar? tenho uma suculenta a Echeveria peacochii, e machuquei suas folhas, elas se partiram. Como faço pra voltar a ter as folhas inteiras novamente?

Obrigada!!!!
Parabéns pelo site....

Leoloco disse...

qual a diferença entre a crassula ovata eespécie obliqua?

S.Cavalcanti disse...

Muito obrigada, pelas orientações. Estou começando a formar um jardim e suas informações são preciosas!

Itamar disse...

como é afolha da crassula ovata

Naturalho o melhor do alho disse...

muita obrigada pelo carinho que escreve seu site!
muito instrutivo.(odaci menezes)

Rejane-Enajer disse...

Amei teu cantinho! tem muita informação e eu estava precisando muuiitoo .
Bom final de semana.Bjs

caroline disse...

eu tenho uma suculenta bem grande, me parece pelas pesqisas que fiz ser uma echeveria elegans ou albicans, aqui ela é vurmente chamada de rosa peixe, ela está ficando feia, com as folhas amarelas e murchas, adubei a terra e a coloquei em vaso de barro enclinado par que ela tenha espaço de cresciemnto, mas n está adiantando, por enquanto ela está do lado de fora, pega sol, pois só coloquei uma lona, e fica na sombra boa parte do di, estou triste por causa da minha planta, não quero que ela morra alguém pode me ajudar??? meu e-mail é carolineparadellaparadella@ig.com.br, eu tenho muita urgência.

thay disse...

comprei hj uma bebe de suculenta crassula muscosa monstrose e ela é muito fofa e obrigada pelas dicas de como cuidar

Maíra disse...

Que dicas boas! Obrigada pelas informações. Irei indicar o seu blog para amigas e conhecidos, quem sabe assim eles não aprendem a cuidar das plantas direito...

Sonia Oliveira disse...

Olá Maira, tudo bem??
Obrigada por ter gostado das dicas sobre as suculentas.
Agradeço também a divulgação do blog para suas amigas.

Bjs e um bom final de semana.

Jeandreson disse...

Gostei muito... Ajuda bastante no cultivo e manutenção de tais espécies. Fico Grato pelas informações e desde de já parabenizo o(a) idealizador(a) do Blogger.

Sonia Oliveira disse...

Olá Jeandreson, tudo bem??

Que bom que as informações do blogue lhe ajudaram a saber como cuidar dessas plantinhas tão encantadoras.

Obrigada pelas palavras de incentivo.

Abraços.

Maria Tereza disse...

Adorei as informaões sobre as suculentas, amo essa planta,moro em Pelotas RS,nosso inverno é rigoroso mas o verão tb não nos dá trégua,me ajudem a formar um mini jardim principalmente com a espécie Echeveria,moro em apto.mas é bem ensolarado, desde já agradeço.Maria Tereza.

Maria Tereza disse...

Esta éa terceira vez que tento postar,adorei as informações sobre as suculentas, amo esta planta principalmente as Echeverias ,moro em Pelotas RS, nosso inverno é rigoroso mas mais ou menos uma década para cá nosso verão tb é muito quente,me ajudem a fazer um mini jardim,moro em apto, mas é bem ensolarado,gostaria de ter diveras Echeverias num mesmo vaso.desde já agradeço.Maria Tereza

Sonia Oliveira disse...

Oi Maria Tereza, tudo bem?

Não é difícil fazer um jardim com vasos, de plantas suculentas.

Acesse http://www.facebook.com/pages/PlantaSonya/116370968441632
lá você encontrará fotos de sugestões de jardins de suculentas, em vasos.

Beijos.

Alex Sander disse...

Ótimo post! Sou fã de suculentas! Meu e-mail é lxsndrlzcmps@yahoo.com.br
Abraço!

Monalisa disse...

Adorei o site, comprei ontem minha primeira plantinha.. suculenta... ainda nao consegui definir qual é.. mas vou seguir as dicas direitinho.. obrigada e parabens..